Este site necessita que o Javascript esteja habilitado.
Prefeitura de Parapuã

Seja bem vindo ao site da Prefeitura Municipal de Parapuã, Sexta, 24 de Maio de 2024

Prefeitura de Parapuã

Parapuã
30°C máx
17°C min
Saúde

Parapuã dá importante passo no cuidado da saúde mental através de projeto para tratar depressão e dependência química.

Iniciativa, apoiada por voluntários e pelo Departamento Municipal de Saúde, visa resgatar vidas e oferecer suporte a famílias afetadas.

Terça, 30 de maio de 2023 às 10h13
 Prefeitura de Parapuã
 Prefeitura de Parapuã
 Prefeitura de Parapuã
 Prefeitura de Parapuã
 Prefeitura de Parapuã
 Prefeitura de Parapuã
 Prefeitura de Parapuã
 Prefeitura de Parapuã
 Prefeitura de Parapuã
 Prefeitura de Parapuã
 Prefeitura de Parapuã
 Prefeitura de Parapuã
 Prefeitura de Parapuã
 Prefeitura de Parapuã
 Prefeitura de Parapuã
 Prefeitura de Parapuã
 Prefeitura de Parapuã
 Prefeitura de Parapuã
 Prefeitura de Parapuã
 Prefeitura de Parapuã
 Prefeitura de Parapuã
 Prefeitura de Parapuã
 Prefeitura de Parapuã
 Prefeitura de Parapuã
 Prefeitura de Parapuã
 Prefeitura de Parapuã
 Prefeitura de Parapuã
 Prefeitura de Parapuã
 Prefeitura de Parapuã
 Prefeitura de Parapuã
 Prefeitura de Parapuã
 Prefeitura de Parapuã






Parapuã deu um importante passo rumo ao cuidado com a saúde mental, aliando-se ao poder do voluntariado. Em um emocionante encontro realizado nesta segunda-feira, no plenário da Câmara Municipal, o projeto EMAESM - Equipe Multiprofissional em Atenção Especializada em Saúde Mental foi apresentado à comunidade. Sua missão é acolher e auxiliar no tratamento da depressão e dependência química, visando resgatar vidas e proporcionar apoio a quem mais necessita.


O evento de apresentação contou com a presença de diversos setores públicos da municipalidade, profissionais da saúde, autoridades e imprensa, representada pelo Guia Online Parapuã.


A depressão e a dependência química são temas urgentes que precisam ser discutidos abertamente. Ambas as condições estão frequentemente interligadas, e é essencial conscientizar sobre a importância do projeto EMAESM, que surge como pioneiro e totalmente concebido por voluntários, com o apoio do Departamento Municipal de Saúde.


Emocionante, Ademir explicou que encontrou forças para evitar que outras famílias passem pelo que ele vivenciou no passado, e que ainda enfrenta essas dificuldades até hoje.


A partir dessa experiência dolorosa, surgiu a ideia de criar o EMAESM, que já está em funcionamento no município. No entanto, durante o encontro realizado hoje, espera-se atrair mais voluntários dispostos a se juntar à luta e serem um alento para o crescente número de pessoas diagnosticadas com depressão, bem como para seus familiares afetados. É importante ressaltar as consequências que o uso de drogas traz para uma família e destacar que o projeto também tem como objetivo acolher todo lar afetado.


O projeto explica que o uso de drogas está interligado com a depressão de várias maneiras. Alguns indivíduos que sofrem de depressão podem recorrer ao uso como uma forma de lidar com seus sintomas emocionais. Eles podem buscar alívio temporário da tristeza, falta de energia e ansiedade associadas à depressão, usando substâncias que alteram o humor. No entanto, o uso de drogas como mecanismo de enfrentamento pode piorar a depressão a longo prazo, criando um ciclo vicioso. Além disso, existem fatores de risco compartilhados entre o abuso de drogas e a depressão, como predisposição genética, disfunção neuroquímica e experiências traumáticas, que podem contribuir para o desenvolvimento de ambos os problemas.


O EMAESM tem como sede o prédio do Lar Esperança de Parapuã (LEP), localizado no Parque Infantil, próximo à Santa Casa. Atualmente, conta com o apoio de psiquiatras, psicólogos e assistentes sociais, em colaboração com o poder público municipal. Além do auxílio dos voluntários, todos os atendidos receberão suporte das unidades de saúde, que desempenham um papel essencial ao realizar triagem e oferecer ajuda a pacientes que já estão sendo assistidos e que sofrem de transtornos psíquicos e dependência química.


Representantes da saúde municipal também se pronunciaram no plenário, enfatizando que estão empenhados em construir uma rede de proteção em torno do projeto EMAESM. Eles destacaram o compromisso de colaborar para garantir que o projeto receba o suporte necessário e que haja uma abordagem integrada para auxiliar aqueles que mais precisam.


Os agentes comunitários de saúde, que visitam diariamente as residências para trabalho de rotina, estão sendo capacitados para fornecer atendimento humanizado e direcionado ao público específico, também desempenharão um papel importante.


Em resumo, ajudar, oferecer conforto, alento e acolhimento são objetivos fundamentais no tratamento dessas doenças. O projeto de Parapuã se baseia na Lei Brasileira que garante proteção e direitos às pessoas portadoras de transtornos mentais, e sua iniciativa pioneira é de extrema importância, servindo como um piloto para outros municípios que desejem seguir essa referência.


A diretora do Departamento Municipal de Saúde, Regiane Simone Gimenez Fregonese, além de representar uma pasta essencial da municipalidade, também atua como voluntária no projeto, representando os esforços da saúde pública municipal em fortalecer e expandir ainda mais o projeto para atender a todos aqueles que necessitam.


Em conversa com a reportagem, Ademir, presidente do projeto, colocou-se à disposição para apresentar mais detalhes sobre a iniciativa, além de oferecer ajuda imediata a quem precisa. O projeto realiza reuniões semanais, todas as quintas-feiras, a partir das 19h, no prédio do Lar Esperança de Parapuã (LEP), localizado no Parque Infantil, próximo à Santa Casa. Para obter mais informações e buscar ajuda, o projeto disponibiliza o contato (18) 99800-1160.



Fale com a Prefeitura Municipal de Parapuã

Horário de Atendimento

07h30min às 12h 13h30min às 17h

Av São Paulo, N° 1.113 - Centro, Parapuã/SP